É com espírito de gratidão e sentido de dever que a Comunidade de Sant’Egídio vem partilhar convosco casos concretos de famílias ajudadas nesta situação de pandemia.

Porque a vossa generosidade assim o merece: fazemos questão de que saiba a quem se destinam os seus donativos.

E também porque consideramos importante prestar-vos uma ideia concreta de quem são as pessoas “atrás dos números”.

Para sermos breves, trazemos apenas os casos de 3 famílias. Ajudamos cerca de mais 20 famílias, em grande sofrimento, que as vossas dádivas têm tornado muito mais felizes.

E… só podemos continuar a fazê-lo com a sua ajuda! Bem-haja!


 

(Nota: Para preservar a identidade das pessoas, os nomes são fictícios.)

 

A Fátima, de 70 anos, diabética, hipertensa e com problemas cardíacos, vive com uma exígua pensão de doença. Na sua pequena casa em Marvila residem 7 pessoas, incluindo filhos atingidos pelo desemprego e netos, desde um bebé de 1 ano até um jovem de 16 anos, agora sem escola nem computador.

Um dos netos, de 9 anos, veio da Guiné para ser operado a um quisto na orelha que lhe provoca muitas dores e passou a Páscoa no Hospital.

Para tentar sustentar este agregado familiar, praticamente sem outras fontes de rendimento, a Fátima deixou de conseguir comprar os medicamentos dos quais depende a sua vida.

A Comunidade de Sant’Egídio tem garantido os medicamentos, alimentos e fraldas para o bebé.

 

A Francisca vive sozinha com os filhos, uma menina de 12 anos, um menino de 5 anos asmático (com crises que obrigam a ter que ir recorrentemente ao Hospital e tomar medicamentos específicos) e uma menina de 9 meses com graves problemas de crescimento, a precisar também de acompanhamento médico.

Desde que o marido deixou a casa de família e não contribui para as despesas, a Francisca tem grandes dificuldades em pagar a renda (275€) e fazer face a todas as despesas da farmácia, da casa e das crianças, agora sem sequer a ajuda das refeições antes asseguradas pela Escola.

Para além do cabaz semanal, Sant’Egídio tem conseguido levar sopa e refeições caseiras.

 

A Antónia tem 28 anos, trabalha em limpezas e perdeu metade do rendimento, pois um dos locais que limpava era uma Escola, agora fechada. O marido sofre de um problema grave na coluna e está impedido de trabalhar. Espera operação há um ano, recebendo apenas uma pequena baixa. Têm dois filhos, de 5 e 4 anos, e no final deste mês de Abril já não tinham gás em casa nem 27€ para poder comprar. Aliás, ninguém da família da Antónia (nem a mãe nem os irmãos) dispunham desta quantia, para muitos de nós irrisória, para lhe poder emprestar.

Precisa de roupa para as crianças e o cabaz semanal de Sant’Egídio tem sido fundamental para a sua alimentação.


 

COMO PODE AJUDAR?

PARTILHA DE TEMPO: Quem tiver disponibilidade para ir uma vez por semana à farmácia ou ao supermercado envie um email para [email protected] com nome e telefone. Entraremos em contacto a disponibilizar mais informação.

PARTILHA FINANCEIRA: Pedimos a vossa contribuição financeira para ajudar nas despesas de supermercado e medicamentos. Quem puder ajudar deverá realizar uma transferência bancária para o NIB da Comunidade de Sant’Egídio, que seguidamente indicamos:

PT50 0035 0413 00046647430 40

(Agradecemos que refiram na transferência “Solidariedade Sant’Egídio” – e, obviamente, facultaremos a consulta de extrato bancário a quem o deseje. Também poderemos emitir recibo, sempre que solicitado. No final desta “operação”, prestaremos contas à Capela sobre quanto dinheiro entrou na conta e como foi aplicado.)

VIATURA: Quem tiver disponibilidade para ir entregar os produtos a estas pessoas carenciadas, pedimos que envie email para [email protected] com nome e telefone. Entraremos em contacto a disponibilizar mais informação.

PARTILHA DE INFORMAÇÃO: Caso conheça pessoas que precisam de ajuda (ou que conhecem outras que precisem), pedimos que envie email para [email protected].

 

Contamos consigo! Ajude-nos a fazer mais! Obrigado!

P. António Martins, Capela do Rato
Joana Sales Dias, Comunidade de Sant’Egídio